sexta-feira, 16 de junho de 2017

Será que é tudo culpa do amor

Share

A Mallu Magalhães tem novo trabalho, o disco chama-se "Vem" e é claramente um disco que vai marcar profundamente a história da sua carreira e da música de língua portuguesa. É um álbum incrível, pleno de excelentes razões para se escutar até ao limite. É um trabalho cheio de maturidade desta ainda jovem música e compositora que demonstra muito bem, não só a qualidade inerente que se tem materializado nos seus diversos trabalhos mas também, um salto reluzente e inquestionável na materialização do seu talento. O crítico musical Mauro Ferreira que escreve no jornal "O Globo" e nas suas plataformas digitais refere que a Mallu "expõe toda a coragem dos 24 anos no melhor álbum da carreira, "Vem", clássico instantâneo da música pop brasileira de alcance universal." E eu não posso concordar mais com ele. Com produção do seu marido Marcelo Camelo, mais uma vez, se demonstra que a cumplicidade e a intimidade como casal transpira para o trabalho de ambos e quase apetece perguntar se toda esta brilhante criação será tudo culpa do amor. "culpa do amor" é um dos temas do álbum que merece a pena ser ouvido do princípio ao fim e muitas vezes.

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Poderoso

Share

Maria Rita e Marcelo Falcão. "O espaço é curto quase um curral na mochila amassada uma quentinha abafada meu troco é pouco é quase nada" Rodo Cotidiano - O Rappa

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Mais uma carnavalesca

Share

Música do último trabalho da Fernanda Abreu, "Tambor", numa versão especial remixada pelo Dj W Imperador. "Segura a banda que a parada é federal"!

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Tem alguém aí?!

Share

Porque o Carnaval está aí e o carlinhos Brown preparou uma versão e um vídeo especial para uma música do seu último disco com a roupagem adequada para o seu carnaval. O Carnaval contagiante e louco dos blocos e dos trios elétricos da Bahia. Tem alguém aí já contagiado?! Ô sol, ô sorte!

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

No coração da super bateria - Eu sou Mangueira sim!

Share
Está quase!
Daqui a uma semana lá estaremos em plena Sapucaí, ajudadndo a querida Estação Primeira conquistar o bicampeonato.
Vamos voltar ao nosso querido Rio e vou voltar a ter a emoção de desfilar na escola mais querida do planeta e, desta vez, acompanhando a estreia da C. nestas andanças e acredito, convictamente, que acabará com a vontade plena de voltar o mais rápido possível a repetir a experiência e com o coração cheio devido ao momento único que irá experienciar.
A Mangueira é, de facto, uma escola especial e, estou certo que há entusiasmo e paixão em todas as outras escolas mas nesta é mesmo diferente e, felizmente, voltou aos seus grandes momentos.
Se há dúvidas é só ver o entusiasmo da sua bateria no esquenta do seu mais recente ensaio geral e a empolgação que se assite nas bancadas. E essa eu garanto, não há empolgação maior nas bancadas do que aquela que se sente e se vê quando a Mangueira entra na avenida.

"(...) Mangueira, eu já benzi minha bandeira
Bati três vezes na madeira
Para a vitória alcançar
No peito patuá, arruda e guiné
Para provar que o meu povo nunca perde a fé
A vela acesa pro caminho iluminar
Um desejo no altar, ou no gongá
Vou festejar com a divina proteção
Num céu de estrelas enfeitado de balão
É verde e rosa o tom da minha devoção
Já virou religião (...)"
Samba Enredo 2017 - Só Com A Ajuda do Santo
G.R.E.S. Estação Primeira de Mangueira


segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

HMB em 3 minutos

Share
A banda portuguesa HMB tem um novo disco, foi lançado no passado dia 10 de Fevereiro e é um grande disco. O melhor trabalho entre todas as músicas que já lançaram.
Muito consistente, com a maioria das músicas a poderem, facilmentem, serem as músicas de apresentação mas, ao mesmo tempo, com bastante diversidade do ponto de vista musical.
No dia de apresentação fizeram um resumo do álbum em 3 minutos e isso é mais uma forma de comprovar que, no caso deles, o talento está sempre aliado com a boa onda.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

A dispensa do garoto-propaganda

Share
Carlos Moreno é, com certeza, o garoto-propaganda mais famosos de todo o brasil e a sua fama chegou, inclusivamente, a Portugal, pelo menos entre as pessoas que trabalham em publicidade.
Ele é recordista do livro dos recordes Guiness Book por ter estado no ar, ininterruptamente, desde 1978 até 2004 como rosto do produto de limpeza Bombril e outros produtos da companhia.
Ficou afastado dois anos mas voltou em força em 2006 e fez cerca de 400 anúncios, entre anuncios fotográficos e de televisão chegando ao ponto de ter passado a ser empregado com contrato na companhia.
É indiscutível que Carlos Moreno é uma figura da cultura popular brasileira e, muito por causa dele, o produto Bombril também apesar de ser apenas e só um mero esfregão, aparentemenete, sem qualquer tipo de capacidade para gerar vínculos emocionais nos consumuidores.
No entanto, tudo tem um fim, e o seu vinculo contratual com a companhia acabou, e, por agora, não haverá mais anúncios com o garoto que já não tem idade para ser garoto mas que continuava a vender Bombril com o mesmo entusiasmo. Infelizmente para a companhia, os resultados comerciais também já não são tão auspiciosos e a dispensa deste ator foi resultado de uma reestruturação mais profunda na própria companhia.
Aparentemente, o esfregão já não encanta como antigamente. Novos tempos.



quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

"Agora nesse momento"

Share
Música do trabalho de estreia do Marcelo Yuka, um dos fundadores da banda de rap "O Rappa" e o responsável pelos principais sucessos do grupo. Esta música tem a participação da cantora paulista Cibelle.
Marcelo foi baleado em 2000, num assalto, tendo ficado paraplégico e impossibilitado de prosseguir a sua carreira de baterista.
O disco chama-se "Canções para depois do ódio", é todo da sua autoria e fala de protestos, e da depressão que viveu após ficar paraplégico, segundo ele, é um trabalho para dar conforto nestes tempos difíceis que o Brasil atravessa mas talvez também seja de terapia para si próprio.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

The Temple of I & I

Share
Este é o título do novo disco dos "velhinhos" Thievery Corporation. Velhinhos é um termo um pouco exagerado e simultaneamente, gentil e afetuoso mas se pensarmos que já passaram uns 17 ou 18 anos desde o seu grande  e emblemático trabalho "Mirror conspiracy"  e 20 anos desde o álbum de estreia, "Sounds from the Thievery Hi-Fi", já podemos dizer que há alguma veterania.
Além disso, o seu estilo eletrónico e de fusão de ritmos é um estilo muito datado que teve o seu auge no fianl do século passdo e início deste século e esta dupla americana passou a ser o símbolo da resistência e longevidade desse estilo tão popular na comunidade publicitária lisboeta e restantes comunidades urbanas e intelectuais da cidade.
É um grande disco, ao nível do melhor que já fizeram, muito dub, muito chill, grandes vozes e interpretações. Para quem gosta do estilo, é um álbum imprescindível.
Este "True sons of Zion" é a quinta faixa do disco que inclui 15 temas, é uma das minhas favoritas além de ser também um excelente exemplo da qualidade e do caráter do disco e ainda uma fotografia bastante fiel do trabalho desta dupla.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Apple aderiu aos blocos de Carnaval

Share
Primeiro anúncio realizado pela Apple no Brasil para promover o Iphone 7 Plus aproveitando a onda dos blocos de Carnaval que estão no seu auge neste momento do ano no Brasil.
A inspiração prolonga-se pela utilização da famosa música "Eu quero é botar o meu bloco na rua", principal êxito do cantor e compositor capixaba Sérgio Sampaio, nascido em Cachoeiro de Itapemirim no estado do Espírito Santo que  faleceu em 1994.
Sérgio foi contemporâneo de vários grandes nomes da música brasileira e foi parceiro de Raul Seixas a quem é atribuída a descoberta deste músico.
A versão do anúncio é do grupo baiano de música eletrónica BaianaSystem.
Fica aqui o anúncio e o vídeo da versão original.


quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

O fim da MPB FM

Share
A MPB FM era, até ao final do mês passado, uma rádio do Rio de Janeiro que apenas tocava música brasileira. Era um projecto que, em Portugal diríamos que mais que corajoso, seria utópico e condenado ao fracasso desde o seu início, no entanto, temos a rádio Amália que, mal ou bem, vai sobrevivendo graças, talvez, à legião de fãs incodicionais, essencialmente, a classe de taxista.
Num país com a riqueza cultural e com a diversidade musical como o Brasil, eu diria que este projeto seria um tiro mais que certeiro, um sucesso garantido mas, infelizmente não.
Acabou de encerrar as suas emissões no início deste mês e, agora, apenas está disponível nas plataformas digitais.
Era a rádio que me fazia companhia sempre que eu visito o Rio e conheço, inclusivamente, algumas pessoas que trabalharam aí e que que me confirmaram o espírito de valorização da música popular brasileira que fazia parte do seu ADN
Lamentavelmente, é um sintoma  que denota vários problemas no país irmão, o problema económico mas também uma certa crise cultural que transformou o popular num outro conceito mais próximo do vulgar e do massificado.
Fica o registo da última música tocada, "Quem te viu, quem te vê" de Chico Buarque, numa versão interpretada pelo Zeca Pagodinho e que nem sequer acabou, foi cortada abruptamente para passar para a emissão da rádio que ficou com a frequência. Metáfora forte!

"(...) Brasil, mostra a tua cara
Quero ver quem paga pra gente ficar assim (...)"
Brasil - Cazuza



quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Orlandivo

Share
O cantor, compositor e percussionista Orlandivo, conhecido como rei do sambalanço, faleceu hoje aos 79 anos.
Autor de mais de 200 canções e vários sucessos dos quais se destaca "Onde anda o meu amor", foi grande influência para Jorge Ben Jor. Mais uma perda para a música.

Luana, filha do samba

Share
Luana Carvalho tem na sua genética um código riquíssimo do ponto de vista musical e cultural já que é filha da grande senhora e madrinha do samba, Beth Carvalho.
Talvez, por isso e pela responsabilidade decorrente desse facto, tenha demorado tanto tempo a iniciar o seu percurso na música de uma forma assumida e autónoma.
Aos 17 anos, ela participou na quarta temporada de “Malhação”, na Globo, em 1998 e participou ainda em três novelas, no mesmo canal, já durante entre 2005 e 2007, uma delas a novela "Páginas da vida" que  se retratava estórias da zona sul carioca, especialmente o Leblon, escrita por um dos seus ilustres habitantes e amantes, Manoel Carlos. Reconheço, uma das novelas que segui de forma dedicada.
Participou ainda no primeiro episódio da maravilhosa série Mandrake.
A sua entrada na música aconteceu ainda antes de se iniciar como atriz mas de forma mais discreta, fazendo backing vocals para a sua mãe durante três anos mas nunca, até agora, tinha assumido um papel individual na cena musical brasileira. O momento de maior visibilidade tinha sido quando uma música sua, interpretada pela sua mãe e por Zeca Pagodinho foi nomeada para a categoria Melhor Canção do Prêmio da Música Brasileira de 2012. A música chama-se "Arrasta sandália" e é um samba daqueles que arrasta.
Hoje com 35 anos, acabou de lançar não um mas sim dois discos com músicas da sua autoria e de outros parceiros musicais e produzidos pelo querido Moreno Veloso.
Os discos chamam-se  “Sul” e “Branco”, o primeiro é um disco intimista e o segundo conta com os habituais companheiros de Moreno, Pedro Sá e Domenico.
Este "Invente-me" faz parte do disco "Sul" e é lindo. Mais uma razão para agradecer à madrinha Beth por existir e por fazer tantas coisas boas.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Primeiro grande disco do ano

Share
A primeira música ainda surgiu no ano passado , no primeiro dia deste ano lançaram a segunda antecipando o lançamento do disco integral. "I see you" é o terceiro disco da banda londrina The XX.
Vão estar por cá, no dia 6 de Julho no festival NOS Alive.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Maíra e Das Neves

Share
Talento e mais talento!
Momento singelo e íntimo entre a Maíra Freitas e o mestre Wilson das Neves. Vídeo publicado ontem que mostra o carinho e o respeito que partilham duas gerações e dois estilos musicais bastante distante mas, ao mesmo tempo, cheios de intersecções musicais e pessoais que são o que permitem a riqueza deste momento. É um dom invejável que consegue tornar momentos simples em ocasiões inesquecíveis. Ôh sôrte!
São três as músicas apresentadas neste vídeo, "Pousa" da Maíra e "Estava faltando você" e o clássico "O samba é meu dom" os dois da autoria de Wilson das Neves, o primeiro em parceria com Délcio Carvalho e o segundo com Paulo César Pinheiro.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Simplesmente Belo

Share
Interpretação maravilhosa da ivete Sangalo e do Carlinhos Brown da música, "Quanto ao tempo" dos Paralamas do Sucesso.
Esta música faz parte de um álbum de 2009 chamado "Pode entrar" gravado num estúdio montado na própria casa da cantora, em Salvador, onde ela recebe amigos para duetos e parcerias musicais num clima intimista e muito pessoal.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Novo fôlego da Vanessa

Share
A Vanessa da Mata tem nova música e depois de alguma indefenição da sua carreira, esta nova música traz a Vanessa dos seus primeiros discos. Música alegre, com batida dançante que já pede Verão apesar do nosso Inverno cheio de frio e chuva.
Lembro-me do Verão do hemisfério sul de 2006 no Rio de janeiro onde se ouvia em todo o lugar a versão mais beat da música "Ai, ai, ai" e era tão contagiante que mesmo que estivessemos saindo, acabávamos por ficar.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Mr. Jay Kay está de volta

Share
O último disco dos Jamiroquai saiu em 2010, ou seja, 7 anos sem nenhum original desta banda tão especial e originalmente funk. Hoje saiu a primeira amostra do seu novo disco, o tema "Automaton" que dará nome ao ao seu oitavo trabalho que sairá para o mercado no próximo dia 31 de Março.
No dia 5 de Agosto deste ano estarão no Festival Sudoeste na Zambujeira do Mar.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Rio de janeiro, 25 de Janeiro de 1927

Share

Fez ontem 90 anos que num dos bairros mais tradicionais do Rio de Janeiro, o bairro da Tijuca, que nasceu o futuro pianista, cantor, arranjador, guitarrista, compositor e maestro António Carlos Jobim, o maior expoente da música brasileira e um dos fundadores do movimento Bossa Nova. A data redonda pede uma homenagem especial a uma figura que  influenciou de forma determinante o meu gosto musical e, mais que isso, a minha paixão pela música no geral e pela MPB em particular.
Obviamente, contribui também para o meu amor tão grande e tão especial à sua cidade natal, o belo Rio de janeiro.
O maestro Tom Jobim tinha uma qualidade muito particular, a sua paixão pelas suas raízes musicais mais tradicionais  e isso  dava uma amplitude e uma abrangência extraordinária ao seu ecletismo musical. Essa paixão garantiu que desde o início da sua carreira e até ao seu desaparecimento, o seu talento e o seu trabalho nunca se tenha separado dessas raízes, pelo contrário foi sempre usado para enriquecer essa cultura nacional, inclusivamente no estilo mais tradicional da vida carioca, o samba. Lembro-me de um disco que comprei há muitos anos no Rio com temas do Tom Jobim chamado "No Tom da Mangueira", e que incluia, entre outras, a linda "Piano na Mangueira". Era um disco que assinalava o desfile da Mangueira no Carnaval de 1992 em que o samba-enredo foi uma homenagem ao maestro e a todo o seu trabalho. Felizmente, Tom Jobim ainda teve oportunidade de ver essa bonita homenagem e assim é que deve ser, demonstrar o nosso respeito e admiração em vida e, no caso de um samba-enredo esse facto ainda assume uma importância maior pois não há homenagem mais gloriosa que ser tema de uma samba-enredo e nunca se deverá tirar o prazer de assistir a esse momento único na vida.
Salve maestro, como diz o samba, "Se todos fossem iguais a você, que maravilha seria viver"!



"Mangueira vai deixar saudade
Quando o carnaval chegar ao fim
Quero me perder na fantasia
Que invade os poemas de Jobim
Amanheceu, o Rio canta de alegria
Aconteceu a mais linda sinfonia
O sol já despontou na serra,
Molhando o seu corpo sedutor

O mar beija a garota de Ipanema,
a musa de um sonhador
O mar beija a garota de Ipanema,
a musa de um sonhador

É carnaval, é a doce ilusão,
É promessa de vida no meu coração
É carnaval, é a doce ilusão,
é promessa de vida no meu coração (Mas vem ... )

Vem, vem amar a liberdade,
Vem cantar e sorrir, ter um mundo melhor
Vem, meu coração está em festa,
Eu sou a Mangueira em Tom maior
Salve o samba de terreiro, salve o Rio de Janeiro,
Seus recantos naturais

Se todos fossem iguais a você,
que maravilha seria viver"
Se todos fossem iguais a você - Estação Primeira de Mangueira

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

É que não me apercebi mesmo

Share

O Carlinhos Brown lançou um disco de originais em 2016 com o título "ARTEFIREACCUA - Incinerando inferno" e eu só descobri esta semana. É mais um disco cheio de melodias singelas e maravilhosas na linha dos discos "Adrobó" e "Diminuto" misturadas com alguns temas que invocam as suas raízes do batuque baiano. Para mim, o expoente máximo do disco é a balada "Dois grudados" que inclui a participação da potente e inconfundível voz de Arnaldo Antunes. Inclui mais uma ode maravilhosa ao Rio de Janeiro no tema "Ruidinho nu", um dueto com a bela voz da Clara de Hollanda, uma mistura genética rica em talento já que é neta do Chico Buarque e filha do próprio Carlinhos Brown e que fez a sua estreia mediática na versão brasileira do programa "The voice". Só coisas boas e eu distraído!

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Uma verdadeira pérola

Share

Adoro Marisa Monte e isso é visível neste blog e na minha vida e também adoro Novos Baianos mas isso é algo menos perceptível e tem uma explicação. Estranhamente, é uma paixão recente. Conheço há muitos anos, ouvia alguns temas, os originais e algumas versões feitas por músicos mais contemporâneos mas só há pouco tempo deu o clique e, talvez, por causa da brilhante interpretação do tema "Mistério do planeta" num concerto ao vivo do Rodrigo Amarante há um ou dois anos. E aí fiquei com uma vontade clara de explorar mais o trabalho deste grupo tão esdrúxulo e marcante para um certo estilo de manifestação cultural e até de vida. Quem gosta de música brasileira identifica automaticamente o grupo de excêntricos Moraes Moreira, Pepeu Gomes e Baby Consuelo e lembra-se também, com certeza, da bela interpretação da Baby Consuelo do tema de Caetano Veloso, "Menino do Rio" que servia de genérico para a telenovela "Água viva". Esta incrível música, "A menina dança", ouvia-a pela primeira vez na voz e na versão da Marisa Monte, faz parte de um disco maravilhoso ao vivo chamado "Barulhinho Bom" e tive a sorte de assistir a dois concertos dessa tournée. Sempre adorei esta música, tem good vibe e um groove contagiante mas fiquei também rendido à versão original que está incluída no maravilhoso disco "Acabou chorare" de 1972 e que inclui ainda a já falada "Mistério da planeta", a maravilhosa "Brasil pandeiro" e a doce "Preta, pretinha", entre outras. Curiosamente, ou não, faz ainda parte da formação da banda que acompanha a Marisa, um dos músicos da formação original dos Novos Baianos, o baixista, produtor e compositor Dadi. Este videoclip junta o passado com o contemporâneo e os Novos Baianos com a Marisa Monte e é absoltamente delicioso.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Descubra as diferenças

Share

Ou, por outras palavras, como transformar um hit popular em algo totalmente diferente e cheio de bom gosto. Dois exemplos maravilhosos de reinvenção de duas músicas da rainha do pop carioca, Anitta. A primeira já tem alguns anos e usa a fórmula meio caseira dos vídeos do Youtube que já revelou vários talentos. Usa os códigos da Bossa Nova e da música de chill out e transforma um dos hits dançantes num simples mas harmonioso enredo musical que permite e potencia que as bonitas vozes brilhem. Alguém imaginou que o "Show das poderosas" dava nisso?! A segunda música e versão é mais recente e é um pouco mais elaborada, inclusivamente no videoclip, realizado com extraordinário bom gosto e carregado de criatividade. É uma versão da música "Bang" que também usa o modo meio acústico mas acrescenta pormenores deliciosos de um violoncelo congruente e bastante saliente e, na minha opinião, muda, inclusivamente, a lógica e o enredo da própria música. Gosto deste miúdo.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

"Fundo da garrafa"

Share

Nova música dos Azeitonas no ano em que iniciam uma nova fase sem um dos seus pilares e um dos seus criadores, Miguel Araújo. Já é quase raro vermos videoclips com qualidade em Portugal e este contrariou essa regra, a animação está primorosa.

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Novo ano, nova música

Share

"Say something loving", segundo tema apresentado do próximo álbum da dupla The XX que sairá ainda este mês de Janeiro.