sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

E depois de uma semana neste mundo que não acabou

Share


Descobri num blog do Rio de Janeiro chamado Diário do Rio cinco sugestões onde se poderia ter passado o fim do mundo no Rio, como é óbvio, as sugestões têm sempre uma boa dose de humor e tenho de acrescentar que qualquer uma das sugestões já foram experimentadas e que co0mpartilho totalmente da opinião de quem escreveu:

"Um dos assuntos que mais deram o que falar este ano foi o fim do mundo. De acordo com uma antiga profecia maia, a Terra vai desaparecer no dia 21 de dezembro de 2012, através de uma série de questões climáticas e meteorológicas. Para algumas pessoas, isso não passa de uma lenda urbana; para outras, é o momento de fazer tudo aquilo que não se tinha feito. Por bem ou por mal, é sempre bom se prevenir. Assim, listamos 5 lugares para passar a data em grande estilo.

Bar Urca: Pensa bem, você não vai querer ver o fim do mundo sóbrio, né? Ainda mais com esse calor que tem feito no Rio. Então, uma opção é juntar a galera, sentar na mureta da Urca e pedir aquela gelada no bar mais charmoso da cidade. Triste vai ser ver aquela vista maravilhosa indo para o espaço, literalmente.

Pão de Açúcar: Com certeza você já se prometeu várias vezes ir ao Pão de Açúcar e nunca cumpriu. Bem, antes tarde do que nunca, não é mesmo? A vista do Rio de Janeiro lá de cima é algo que todos precisam ver pelo menos uma vez na vida, mesmo que ela termine no mesmo dia.

Pedra da Gávea: Se você tiver medo de altura, é hora de superar seus traumas, até porque você não vai ter muita escolha depois. Pular de asa delta ou parapente com certeza vai ser uma experiência única, e você já vai estar com a adrenalina a mil, preparado para a hora em que o mundo não existir mais.

Lapa: Já que o fim do mundo vai cair numa sexta-feira, nada mais justo do que a Lapa. Você vai ver gente de tudo quanto é tipo, curtir um sambinha, jogar uma sinuca ou ficar em um dos depósitos, bebendo. Quando der por si, o mundo vai estar acabando, mas pelo menos você vai estar em um dos melhores lugares para curtir.

Barra da Tijuca: Como a Barra é longe de tudo, com certeza o fim do mundo vai demorar a chegar até lá."

Ainda os tops de álbuns

Share

Encontrei há uns tempos mais um top que elegia, neste caso, os dez melhores álbuns de todos os tempos da música brasileira. Esta votação foi promovia pela Rádio Eldorado FM, o portal Estadao.com e o Caderno C2+Música, do jornal ‘O Estado de S. Paulo’. A eleição foi feita por mais de vinte cinco mil internautas e deu o seguinte resultado: 1. Ventura - Los Hermanos (2003) 2. Clube da Esquina - Milton Nascimento e Lô Borges (1972) 3. Dois - Legião Urbana (1986) 4. Elis e Tom - Elis Regina e Tom Jobim (1974) 5. Krig-há, Bandolo - Raul Seixas (1973) 6. Construção - Chico Buarque (1971) 7. Cabeça Dinossauro - Titãs (1986) 8. Acabou Chorare - Novos Baianos (1973) e Secos e Molhados - Secos e Molhados (1973) 9. Tropicália ou Panis Et Circenses (1986) 10. Roberto Carlos - Roberto Carlos (1971) Sem fazer nenhuma apreciação às escolhas nem à ordenação da tabela o que posso dizer é que o Ventura e o Elis e Tom são dois dos álbuns da minha vida. 'Samba a dois' e 'Último romance' são duas obras primas o os Los Hermanos são um conjunto de gente muito talentosa. No álbum Elis e Tom não há uma música que não faça parte da minha vida, a 'Águas de Março' foi uma das músicas que me apresentou a música brasileira e depois é só escutar todas de seguida e em repeat. Apenas mais um destaque, a impressionante interpretação da Elis no tema 'Por toda a minha vida' e que ganhou ainda mais emoção, encanto e beleza com a cena da filme 'Habla con ella' do Pedro Almodôvar. Para mim, esse é um dos melhores álbuns de sempre do mundo. Construção é um dos meus temas preferidos do Chico, o disco Dois dos Legião tem as minhas duas músicas preferidas deles, 'Eduardo e Mónia' e 'Quase sem querer', o Clube da Esquina tem a maravilhosa 'Cais' e o Milton, para mim é das vozes mais incríveis do mundo, apesar de não gostar de tudo dele. O álbum Roberto Carlos tem uma música que eu amo que é a 'Como vai você'. Titãs é uma banda que ainda hoje eu estou aprendendo a gostar e este não é o álbum com quem eu tenho mais afinidade mas tem o 'Polícia'! Para acabar tenho de falar do Tropicália ou Panis Et Circenses pois é o álbum emblemático do Tropicalismo e junta muitos gigantes da música brasileira e alguns dos meus preferidos, começando por Caetano Veloso, Gilberto Gil, Gal Costa, Nara Leão (esta estava em todas), Tom Zé e Os Mutantes. Este disco continua a explicar muita coisa acerca das opções futuras que o Caetano e o Gilberto fizeram nas suas carreiras.

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Letuce

Share

Mais uma descoberta da nova geração musical da música brasileira, esta é uma banda chamada Letuce e que já existe desde 2008 (como é que eu não sabia?!). É formada pr um casal carioca que são um casal mesmo e têm um som moderno e contemporâneo, na onda da Céu e da Tiê mas também se aventuram por coisas mais tradicionais. Esses são dois bons exemplos, o primeiro uma interpretação muito própria da bela música da Marina Lima (uma das minhas favoritas) "Acontecimentos" e outra que é uma aventura mais audaciosa pelo pagode e que tem um nome longo e irónico mas que é um tema lindo "Undererê Desejo de Amar no Churrasquinho". A última chama-se "Areia fina" e, do pouco que ouvi do resto do repertório, parece-me mais próxima do registo da banda. Esta música tem uma frase genial, "Hoje sinto na própria pele que o que parece perfeito dá defeito, cedo ou tarde!" o que não significa que seja essa realidade seja má.

Rio, 43,2 graus!

Share



No passado dia 12, ainda antes do Verão começar, o Jornal Globo dizia:
"O município do Rio deve ter temperaturas acima da média neste verão, de acordo com previsão do Climatempo para os próximos três meses. A tendência para a estação é de que o volume de chuvas não ultrapasse muito a média climatológica, com exceção de dezembro, de acordo com o meteorologista André Madeira. Para dezembro, segundo o especialista, a partir do início do verão, que começa dia 21, a temperatura fica ligeiramente mais alta que a média do mês, de 31,9 graus. Segundo Madeira, os termômetros devem ficar meio grau acima da média. Já as chuvas de dezembro devem ser 25% mais volumosas que a média de 185mm. No entanto, explica o meteorologista, não significa que dezembro será mais chuvoso, mas sim que as chuvas deverão ser mais densas.

Em janeiro, que tem média climatológica de 33,1 graus, medida na região da Praça Mauá, no Centro do Rio, os termômetros devem marcar até um grau a mais, segundo Madeira. O acumulado de chuvas do mês deve ficar próximo à média de 187 mm, com tendência de diminuir um pouco.
O mês de fevereiro também deve ser mais quente que o normal. Segundo o meteorologista, as temperaturas ficam até um grau acima da média de 34,3 graus. O volume de chuva também deve ficar abaixo dos 91,3 mm de média para o mês.
(...)
consenso da previsão do tempo para o próximo trimestre mostra que o verão no Estado do Rio deve manter as médias históricas de temperatura e volume de chuvas. O prognóstico é elaborado pelo Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (Cptec/Inpe), e pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet)."

Pois é e não foi preciso esperar por Janeiro para se sentir o tal calor lá daqueles lados e para confirmar essa previsão de máximos históricos. Ontem a temperatura no Rio foi recorde histórico, segundo o Inmet a máxima 'oficial' chegou a 43,2 ºC, a maior desde 1915 quando medição começou.
O recorde anterior foi de 43,1 ºC em Bangu, em Janeiro de 1984, portanto, há 29 anos.

Este post é para todos os meus amigos de lá, apesar de alguns não terem resistido e terem passado o dia a enviar mensagens zoando com o nosso frio aqui.



"Você viu só que amor
Nunca vi coisa assim
E passou, nem parou
Mas olhou só pra mim...

Se voltar vou atrás
Vou pedir, vou falar
Vou dizer que o amor
Foi feitinho prá dar...

Olha, é como o verão
Quente o coração
Salta de repente
Para ver
A menina que vem...

Ela vem sempre tem
Esse mar no olhar
E vai ver, tem que ser
Nunca tem quem amar
Hoje sim, diz que sim
Já cansei de esperar
Nem parei, nem dormi
Só pensando em me dar...

Peço, mas você não vem
Bem!
Deixo então!
Falo só
Digo ao céu
Mas você vem...

Deixo então!
Falo só
Digo ao céu
Mas você vem..."
Samba de Verão -Marcos Valle

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Os 100 álbuns da música brasileira

Share
Já um tempo que tinha vontade de colocar aqui esta votação que já tem algum tempo e que foi organizada pela  revista Rolling Stone do Brasil e que decidiu eleger os 100 álbuns da música brasileira. A votação foi efectuada por 60 convidados de várias áreas, estudiosos, produtores e jornalistas, e o desafio foi votarem nos seus 20 discos de música brasileira preferidos. Desta votação saiu uma lista com 100 álbuns essenciais do cenário musical brasileiro.

Olhando a lista com atenção, Vê-se que não há disco anterior a 1950 e confesso que não sei se existe uma explicação lógica para isso mas já causa bastante estranheza não haver nenhum disco posterior a 2003. O período com mais obras na lista são os anos 70, 51 obras foram lançadas entre 1970 e 1979. Os anos 60, têm 16 álbuns na lista, seguidos pelos anos 80, com 14 nomes. Anos 90, 50 e 2000 fecham a lista, com 11, 5 e 3 álbuns, respectivamente.

Os artistas com mais discos votados foram Caetano Veloso e Gilberto Gil, cada um com 7 discos na lista. Em seguida vêm Gal Costa, Tom Jobim e Jorge Ben, com 5 álbuns cada um. Em terceiro lugar estão Os Mutantes e Tim Maia, cada um com 4 obras.

Confesso que ainda tenho muitos para descobrir.

A lista completa, com os 100 discos:

Acabou Chorare – Novos Baianos (1972)
Tropicália ou Panis et Circensis – Vários (1968)
Construção – Chico Buarque (1971)
Chega de Saudade – João Gilberto (1959)
Secos e Molhados – Secos e Molhados (1973)
A Tábua de Esmeralda – Jorge Ben (1972)
Clube da Esquina – Milton Nascimento & Lô Borges (1972)
Cartola – Cartola (1976)
Os Mutantes – Os Mutantes (1968)
Transa – Caetano Veloso (1972)
Elis & Tom – Elis Regina e Antônio Carlos Jobim (1974)
Krig-Ha Bandolo – Raul Seixas (1973)
Da Lama ao Caos – Chico Science & Nação Zumbi (1994)
Sobrevivendo no Inferno – Racionais MC’s (1998)
Samba Esquema Novo – Jorge Ben (1963)
Fruto Proibido – Rita Lee (1975)
Racional Volume 1 – Tim Maia (1975)
Afrociberdelia – Chico Science & Nação Zumbi (1996)
Cabeça Dinossauro – Titãs (1986)
Fa-Tal – Gal a Todo Vapor – Gal Costa (1971)
Dois – Legião Urbana (1986)
A Divina Comédia ou Ando Meio Desligado – Os Mutantes (1970)
Coisas – Moacir Santos (1965)
Roberto Carlos em Ritmo de Aventura – Roberto Carlos (1967)
Tim Maia – Tim Maia (1970)
Expresso 2222 – Gilberto Gil (1972)
Nós vamos Invadir Sua Praia – Ultraje a Rigor (1985)
Roberto Carlos – Roberto Carlos (1971)
Os Afro-Sambas – Baden Powell, Quarteto em Cy e Vinícius de Moraes (1966)
A Dança da Solidão – Paulinho da Viola (1972)
Carlos, Erasmo – Erasmo Carlos (1970)
Pérola Negra – Luis Melodia (1973)
Caymmi e Seu Violão – Dorival Caymmi (1959)
Loki? – Arnaldo Baptista (1974)
Estudando o Samba – Tom Zé (1976)
Falso Brilhante – Elis Regina (1976)
Caetano Veloso – Caetano Veloso (1968)
Maria Fumaça – Banda Black Rio (1977)
Selvagem? – Os Paralamas do Sucesso (1986)
Legião Urbana – Legião Urbana (1985)
Meus Caros Amigos – Chico Buarque (1976)
O Bloco do Eu Sozinho – Los Hermanos (2001)
Refazenda – Gilberto Gil (1975)
Mutantes – Os Mutante (1969)
Raimundos – Raimundos (1994)
Chaos A.D. – Sepultura (1993)
João Gilberto – João Gilberto (1973)
As Aventuras da Blitz – Blitz (1982)
Racional Volume 2 – Tim Maia (1976)
Revolver – Walter Franco (1975)
Clara Crocodilo – Arrigo Barnabé (1980)
Cartola – Cartola (1974)
O Novo Aeon – Raul Seixas (1975)
Refavela – Gilberto Gil (1977)
Nervos de Aço – Paulinho da Viola (1973)
Amoroso – João Gilberto (1977)
Roots – Sepultura (1996)
Antônio Carlos Jobim – Tom Jobim (1963)
Canção do Amor Demais – Elizeth Cardoso (1958)
Gil e Jorge Ogum Xangô – Gilberto Gil e Jorge Ben (1975)
Força Bruta – Jorge Ben (1970)
MM – Marisa Monte (1989)
Milagre dos Peixes – Milton Nascimento (1973)
Show Opinião – Nara Leão, Zé Kéti e João do Vale (1965)
Nelson Cavaquinho – Nelson Cavaquinho (1973)
Cinema Transcendental – Caetano Veloso (1979)
África Brasil – Jorge Ben (1976)
Ventura – Los Hermanos (2003)
Samba Esquema Noise – Mundo Livre S/A (1994)
Getz/Gilberto Featuring Antônio Carlos Jobim – Stan Getz, João Gilberto e Antônio Carlos Jobim (1963)
Noel Rosa e Aracy de Almeida – Aracy de Almeida (1950)
Jardim Elétrico – Os Mutantes (1971)
Angela Ro Ro – Angela Ro Ro (1979)
Õ Blésq Blom – Titãs (1989)
Tim Maia – Tim Maia (1971)
A Bad Donato – João Donato (1970)
Canções Praieiras – Dorival Caymmi (1954)
Gilberto Gil – Gilberto Gil (1968)
Álibi – Maria Bethânia (1978)
Gal Costa – Gal Costa (1969)
Psicoacústica – Ira! (1988)
O Inimitável – Roberto Carlos (1968)
Matita Perê – Tom Jobim (1973)
Qualquer Coisa/Jóia – Caetano Veloso (1975)
Jovem Guarda – Roberto Carlos (1965)
Beleléu, Leléu, Eu – Itamar Assumpção e Banda Isca de Polícia (1980)
Verde Anil Amarelo Cor de Rosa e Carvão – Marisa Monte (1994)
Nada Como Um Dia Após O Outro Dia – Racionais MC’s (2002)
Carnaval na Obra – Mundo Livre S/A (1998)
Quem é Quem – João Donato (1973)
Cantar – Gal Costa (1974)
Wave – Tom Jobim (1967)
Lado B, Lado A – O Rappa (1999)
Vivendo e Não Aprendendo – Ira! (1986)
Boces Bárbaros – Gil, Bethânia, Caetano e Gal (1976)
A Sétima Efervescência – Júpiter Maçã (1996)
Araçá Azul – Caetano Veloso (1972)
Elis – Elis Regina (1972)
Revolução por Minuto – RPM (1985)
Circense – Egberto Gismonti (1980)

Álbum do ano VMB 2012

Share
BNegão & Selectores de Frequência, banda rap e hip hop carioca, com o álbum "Sintoniza Lá", segundo álbum da banda. BNegão foi vocalista dos Planet Hemp, partilhando os palcos com Marcelo D2.
Este "EÁ" é o vídeo clip de apresentação e é uma bela amostra do disco. Podem ouvi-lo no site da banda bnegaoseletores.com.br
Recomenda-se.

Iradíssimo!!

Share
Vídeo da produtora de imagem carioca MOOV com imagens geniais do Rio, utilizando várias técnicas de filmagem. Grandes imagens, fotografia incrível e uma cor impressionante. O vídeo recebeu destaque no Vimeo como escolha do staff. São três minutos e vinte segundos de puro prazer.

Time of Rio from MOOV on Vimeo.

Natal no Rio

Share

Além do calor, da paisagem maravilhosa ainda têm show desses na noite de Natal. Ontem foi Stevie Wonder e Gilberto Gil, gratuitamente, na Praia de Copacabana para mais de 500 mil pessoas. É mole?

domingo, 23 de dezembro de 2012

44

Share
A C. proporcionou-me um dos momentos mais felizes da minha vida ao juntar todos os meu amigos, mesmo os que ainda não conhecia e a surpresa mais incrível até hoje. Obrigado meu amor, a nossa vida vai continuar uma surpresa e uma felicidade permanente.
"Eu já passei
Por quase tudo nessa vida
Em matéria de guarida
Espero ainda a minha vez
Confesso que sou
De origem pobre
Mas meu coração é nobre
Foi assim que Deus me fez...
E deixa a vida me levar
(Vida leva eu!)
Deixa a vida me levar
(Vida leva eu!)
Deixa a vida me levar
(Vida leva eu!)
Sou feliz e agradeço
Por tudo que Deus me deu...
Só posso levantar
As mãos pro céu
Agradecer e ser fiel
Ao destino que Deus me deu
Se não tenho tudo que preciso
Com o que tenho, vivo
De mansinho lá vou eu...
Se a coisa não sai
Do jeito que eu quero
Também não me desespero
O negócio é deixar rolar
E aos trancos e barrancos
Lá vou eu!
E sou feliz e agradeço
Por tudo que Deus me deu...
Deixa a vida me levar
(Vida leva eu!)
Deixa a vida me levar
(Vida leva eu!)
Deixa a vida me levar
(Vida leva eu!)
Sou feliz e agradeço
Por tudo que Deus me deu...
Eu já passei
Por quase tudo nessa vida
Em matéria de guarida
Espero ainda a minha vez
Confesso que sou
De origem pobre
Mas meu coração é nobre
Foi assim que Deus me fez...
Deixa a vida me levar
(Vida leva eu!)
Deixa a vida me levar
(Vida leva eu!)
Deixa a vida me levar
(Vida leva eu!)
Sou feliz e agradeço
Por tudo que Deus me deu...
Só posso levantar
As mãos pro céu
Agradecer e ser fiel
Ao destino que Deus me deu
Se não tenho tudo que preciso
Com o que tenho, vivo
De mansinho lá vou eu...
Se a coisa não sai
Do jeito que eu quero
Também não me desespero
O negócio é deixar rolar
E aos trancos e barrancos
Lá vou eu!
E sou feliz e agradeço
Por tudo que Deus me deu...
Deixa a vida me levar
(Vida leva eu!)
Deixa a vida me levar
(Vida leva eu!)
Deixa a vida me levar
(Vida leva eu!)
Sou feliz e agradeço
Por tudo que Deus me deu..."
Deixa a vida me levar - Beth Carvalho e Diogo Nogueira (musica de Zeca Pagodinho)

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

E se houvesse pessoas a acreditar nos maias?

Share

"Anunciaram e garantiram
Que o mundo ia se acabar
Por causa disso
Minha gente lá de casa
Começou a rezar...

E até disseram que o sol
Ia nascer antes da madrugada
Por causa disso nessa noite
Lá no morro
Não se fez batucada...

Acreditei nessa conversa mole
Pensei que o mundo ia se acabar
E fui tratando de me despedir
E sem demora fui tratando
De aproveitar...

Beijei a bôca
De quem não devia
Peguei na mão
De quem não conhecia
Dancei um samba
Em traje de maiô
E o tal do mundo
Não se acabou...

Anunciaram e garantiram
Que o mundo ia se acabar
Por causa disso
Minha gente lá de casa
Começou a rezar...

E até disseram que o sol
Ia nascer antes da madrugada
Por causa disso nessa noite
Lá no morro
Não se fez batucada...

Chamei um gajo
Com quem não me dava
E perdoei a sua ingratidão
E festejando o acontecimento
Gastei com ele
Mais de quinhentão...

Agora eu soube
Que o gajo anda
Dizendo coisa
Que não se passou
E, vai ter barulho
E vai ter confusão
Porque o mundo não se acabou...

Anunciaram e garantiram
Que o mundo ia se acabar
Por causa disso
Minha gente lá de casa
Começou a rezar...

E até disseram que o sol
Ia nascer antes da madrugada
Por causa disso nessa noite
Lá no morro
Não se fez batucada...

Acreditei nessa conversa mole
Pensei que o mundo ia se acabar
E fui tratando de me despedir
E sem demora fui tratando
De aproveitar...

Beijei a bôca
De quem não devia
Peguei na mão
De quem não conhecia
Dancei um samba
Em traje de maiô
E o tal do mundo
Não se acabou...

Anunciaram e garantiram
Que o mundo ia se acabar..."
E o mundo não se acabou - Adriana Calcanhoto

Se os maias tivessem razão...

Share
"Meu amor
O que você faria se só te restasse um dia?
Se o mundo fosse acabar
Me diz o que você faria

Ia manter sua agenda
De almoço, hora, apatia
Ou esperar os seus amigos
Na sua sala vazia

Meu amor
O que você faria se só te restasse um dia?
Se o mundo fosse acabar
Me diz o que você faria

Corria prum shopping center
Ou para uma academia
Pra se esquecer que não dá tempo
Pro tempo que já se perdia

Meu amor
O que você faria se só te restasse esse dia
Se o mundo fosse acabar
Me diz, o que você faria

Andava pelado na chuva
Corria no meio da rua
Entrava de roupa no mar
Trepava sem camisinha

Meu amor
O que você faria?
O que você faria?

Abria a porta do hospício
Trancava a da delegacia
Dinamitava o meu carro
Parava o tráfego e ria

Meu amor
O que você faria se só te restasse esse dia?
Se o mundo fosse acabar
Me diz o que você faria

Meu amor
O que você faria se só te restasse esse dia?
Se o mundo fosse acabar
Me diz o que você faria
Me diz o que você faria
Me diz o que você faria..."
Último dia - Paulinho Moska

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Há que tempos que não ouvia isto

Share
E é tão bom! E no momento que estão a lançar mais um disco apesar de ter poucos originais, apetece-me ouvi-los e vê-los mais uma vez.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Nova do Pensador e em grande estilo

Share
Chama-se "Surfista Solitário", tem a participação do grande Jorge Ben, ou Ben Jor como gosta de ser chamado e o clip é qualquer coisa de extraordinário por mostrar tantos locais que me são tão queridos e que agora também já se podem considerar parte da nossa vida. 
Fala Gabriel!

"Olhei pro mar, pra não me perder de vista
E vi uma onda solitária, correndo sem quebrar
Como se fosse ela uma surfista
A onda olhou pra mim, me convidou jogando a sua crista
Abrindo os braços como ninguém abre
E eu que não sou Cristo, mas entendo de milagre
Fui andando sobre as águas do jeito que só quem conhece sabe

Acorde num domingo, tome seu café
Pegue a sua prancha, tome a benção à mãe
Reze com fé e vai pro mar
E vai pro mar!
Solitário Surfista

Mar doce lar, vasto e profundo, mais vasto é o meu coração
Que não cabe nesse mundo e precisa transbordar
Navegar não é preciso, é preciso surfar
Nada parado, tudo em movimento
O chão é a parede e é o teto ao mesmo tempo
A parede desabando e eu lá dentro, acelero e acelera o batimento
Tanto bate até que fura, água mole em pedra dura
Cada louco tem a sua loucura
Eu viajo por isso, quase sempre sem visto
A sereia me chama, eu não resisto
Sei que cada feiticeira tem a sua maneira de transformar
Uma laje de pedra em ouro maciço, parece feitiço
A sereia me chama, eu viajo por isso

Acorde num domingo, tome seu café
Pegue a sua prancha, tome a benção à mãe
Reze com fé e vai pro mar
E vai pro mar!
Solitário Surfista

Cheguei na praia, olhei pro mar, entrei no mar
Entrei no mar, olhei pra onda, entrei na onda
Entrei na onda e fiz a onda até a areia
Entrei na onda que corre na minha aldeia
A minha onda não é uma onda qualquer
Da minha onda eu saio de cabeça feita
E na areia uma sereia com pernas de mulher
Mais perfeita do que a onda mais perfeita
Adivinhava o meu futuro com os seus óculos escuros
Me filmando nas esquerdas e direitas
Cheguei na areia e a sereia entrou no mar
E só de onda eu me deitei onde ela deita
Tubarão em pele de cordeiro, um ataque de surpresa
Predador virando presa, uma sereia com pernas de mulher
Perfeição ou perversão da natureza?

Solitário Surfista (...)"
Surfista Solitário - Gabriel o Pensador e Jorge Ben

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

3 abordagens, a mesma qualidade

Share

Há tempo voltei a ouvir esta música, a "16 toneladas" e fiquei com vontade de a recuperar e foi aí que percebi que a versão original é americana, interpretada por Paul Robeson, e que já era um clássico quando a sua versão brasileira surgiu, penso eu, na voz de Noriel Vilela e só muito depois é que os Funk Como Le Gusta é que criaram a versão que se vai, ainda hoje, ouvindo nas pistas de dança.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Aconselho a ver

Share

Em português chama-se "A origem dos guardiões" e é um grande filme de animação! Noutro registo também gostámos muito deste.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Podíamos estar lá na sapucaí, né?

Share

Começam este final de semana os ensaios técnicos das escolas de samba na Sapucaí. Era o momento ideal para passar um fim de semana lá mas como não dá ficam aqui os samba enredo de algumas das escolas de samba mas conhecidas e pelas quais nutro alguma simpatia, a C. ainda se está a iniciar nestas coisas e ainda só a consegui convencer que a favorita é a Mangueira! O site Carnavalesco já fez uma votação e chegou à eleição do samba enredo da Vila Isabel como o favorito dos jurados do site. No entanto a escolha do público foi diferente e preferiram o do Salgueiro. A nossa Mangueira, a Portela da Marisa Monte e do Paulinho da Viola e os Unidos da Tijuca dos meus queridos amigos também estão nos lugares cimeiros. E o samba não pode parar mêrmão!

E assim à última hora...

Share
Mesmo, mesmo quando já não se estava a contar... Ela aparece com dois bilhetes para irmos ao Coliseu para ver o António Zambujo. É por essas e por muitas outras que não me dou longe de ti!
"Não me dou longe de ti
Nem em sonhos eu consigo
Ter alguém no meio de nós
Só Deus sabe o que pedi
Para tu ficares comigo
E ouvires a sua voz
Só eu sei o que sofri
Quando sonhava contigo
E abria os olhos a sós
Sabes da minha fraqueza
Onde a faca tem dois gumes
Onde me mato por ti
É da tua natureza
Cortar-me o peito em ciúmes
E eu finjo que não morri
Mas é da minha tristeza
Esconder no fado os queixumes
E a cantar entristeci
À noite voltas de chita
Com duas flores no regaço
E tudo o que a Deus pedi
És tão minha, tão bonita
És a primeira que abraço
Aquela em que me perdi
Nem a minha alma acredita
Que me perco no teu passo
Não me dou longe de ti
Assim te quero guardar
Como se mais nada houvesse
Nem futuro, nem passado
De tanto, tanto te amar
Pedi a Deus que trouxesse
O teu corpo no meu fado"
Não me dou longe de ti - António Zambujo

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Enquanto a gente namora

Share

Música de João Donato interpretada pela bela Thalma de Freitas e incluida no novo disco da Orquestra Imperial. Parabéns para eles que actuam hoje no Carnegie Hall em Nova Iorque com casa completamente cheia.

"Começo de amor
Inicia o verão
Chove a cântaros lá fora
Enquanto a gente namora

Deixe-se derreter
No absurdo
Deixe-se derreter
No abuso
Molha os olhos
Molha os lençóis
Molha a boca
Molha o mundo lá fora
Enquanto a gente namora."
Enquanto a gente namora - Orquestra Imperial

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Primeira amostra ainda fresquinha

Share

Nova música do novo de Caetano. Título sugestivo de mais uma grande música do meu cantor preferido, o cara é f*** mesmo.

"O poncho de juazeiro numa caverna do louro francês
Interativa essa fazenda de areais
Fitas cassete, uma ergométrica, os restos de rabada
Lá fora o mundo ainda se torce para encarar a equação
Pura invenção, dança da moda
A bossa nova é foda

O magno instrumento grego antigo diz que quando chegares aqui
Que o dom que muito homem não tem tem a influência do jazz
E tanto faz se o bar do judeu romântico de Minnesota
Porque ele o meu reconhece de volta a ítaca

A nossa vida nunca mais será igual
Samba de roda, neo carnaval, Rio São Francisco, Rio de Janeiro, canavial
A bossa nova é foda

O tom de tudo comanda as ondas do mar
Ondas sonoras que colorem o espacial
Homem cruel, destruidor, de brilho intenso, monomental
Deu ao poeta, velho profeta, a chave da casa de munição

O velho transformou o mito das raças tristes
Em minotauros, júnior ciganos, em José Aldo, Lyoto Machida, Victor Belford, Anderson Silva e a coisa toda

A bossa nova é foda
Ahhhhhh
A bossa nova é foda

Deu ao poeta, velho profeta, a chave da casa de munição
O velho transformou o mito das raças tristes
Em minotauros, júnior ciganos, em José Aldo, Lyoto Machida, Victor Belford, Anderson Silva e a coisa toda

A bossa nova é foda
Ahhhhhh
A bossa nova é foda"
A bossa nova é foda - Caetano Veloso   

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Abraçaço

Share

Está a chegar o novo álbum do Caetano. Sem grande alarde e com pouca divulgação comercial, a maioria dos meios soube porque ele decidiu divulgar a capa do disco na sua conta de Instagram. Segundo a Rolling Stone do Brasil, "O curioso nome do álbum foi justificado pelo músico como algo “bonito de ver”, como se a digitação estivesse errada, e ele também gosta da terminação “aço” para dar o sentido aumentativo às palavras. Então, o nome do disco seria algo como "abração". Ao todo são 11 faixas, que devem encerrar a trilogia em parceria de Caê com Pedro Sá (guitarra), Marcelo Callado (bateria) e Ricardo Dias Gomes (baixo), dois últimos da banda neo-tropicalista Do Amor. Foi ao lado deles, sob o nome de Cê, que Caetano lançou seus dois outros discos de estúdio.Cê, de 2006, e Zii e Zie. (...) A produção do disco ficou a cargo do próprio filho do cantor, o também músico Moreno Veloso, do guitarrista da Cê, Pedro Sá." Lista de músicas de Abraçaço: 1 - A Bossa Nova É Foda 2 - Um Abraçaço 3 - Estou Triste 4 - Império Da Lei 5 - Quero Ser Justo 6 - Um Comunista 7 - Funk Melódico 8 - Vinco 9 - Quando O Galo Cantou 10 - Parabéns 11 - Gayana

terça-feira, 27 de novembro de 2012

É oficial!

Share
Lá em casa e, apesar do atraso com que estamos não só ao ritmo do Brasil, onde a novela já acabou, mas também ao de cá (estamos atrasados praí uns 40 episódios mas nada que não se recupere rapidinho num fim de semana chuvoso), estamos viciados na novela "Avenida Brasil"!

Mas estamos muito bem acompanhados pelo que dá para ver nessa crónica do brilhante Arnaldo Jabor:

'AVENIDA BRASIL' ACABOU...

"Que saudades vou ter do Leleco, do Tufão, das peruas do subúrbio, gritadeiras e barraqueiras, que saudades da dupla de atrizes geniais apaixonadas pelo ódio, Carminha e Rita (não esqueço dos rugidos de fera de Adriana Esteves, desde o dia em que ela ‘comeu’ literalmente o Tufão pela primeira vez, como se fosse um bicho devorando-o com a boca), da Ivana, da grande Zezé e
 Janaina e principalmente do Max, o nosso Maxwell, o famoso malandro-agulha, finalmente retratado na TV ('malandro-agulha', sabe-o Joaquim F. dos Santos, é aquele que "toma no buraco, mas não perde a linha...").

Essa novela é um buraco novo na teledramaturgia. Partiram para fazer uma novela ‘para’ a classe C e tudo acabou virando uma novela da classe C para o País todo. Não é uma trama feita ‘para’ o subúrbio; é o subúrbio e seus personagens que fizeram a novela, criando uma espécie de realismo crítico em que os heróis não são mais comandados pela ideologia dos autores, como objetos de um folhetim ‘social’, como fazia a velha ‘arte engajada’. A chamada arte social de filmes e livros tratava de excluídos ou de suburbanos como um conceito geral e sua intenção era ‘conscientizá-los’ sobre sua ‘alienação’, como os autores decidiam. Aqui, não. O subúrbio finalmente apareceu na TV, sem folclore e sem ideologias. Eu fui criado no Rocha, na antiga rua Guimarães, atual Alm. Ary Parreiras e sei do que falo. Claro que não é só aquela ilha de solidariedade que a novela mostra, mas tem, sim, um clima brasileiro vivo, uma doçura na precariedade de seus moradores que não há na zona sul. Aqui, os heróis são sujeitos da ação. E o resultado foi incrível, porque descobrimos maravilhados que o universo C é muito mais rico em revelações de comportamento sobre a vida brasileira do que a mortiça ZS, sem vizinhos, sem fofocas. Nelson Rodrigues dizia que "a novela mata nossa fome por mentiras", mas essa novela matou nossa fome de verdades.

Avenida Brasil parte do melodrama, claro. Ou melhor, de uma rede de melodramas interligados como uma grande paródia do próprio melodrama, uma paródia dessa tradição desprezada, mas tão rica na história do teatro. Ao final do século 19, as novas propostas estéticas que surgiam, entre elas o naturalismo, acabaram negando muitas das formas superutilizadas do melodrama, que foram consideradas antinaturais. Isso disseminou um valor negativo a tudo que fosse considerado melodramático, que se tornou sinônimo de interpretações e enredos exagerados, antinaturais. Aliás, a música comentário que sublinha dramaticamente a ação, muito usada nos melodramas, foi muito bem utilizada nessa novela, indo de momentos bregas a homenagens a Bernard Herman e até a acordes minimalistas.

Em geral, as novelas têm um núcleo principal cercado de coadjuvantes por todo lado; essa, não. Todos são importantes, todos têm uma psicologia original compondo um vasto painel de personalidades; não há tipos – todos são personagens. Por exemplo, o Adauto, que começou como um bobão lateral, acabou crescendo para um cara com ecos até ‘shakespearianos’ do bufão ou do louco que comenta a ação dos principais, assim como as empregadas também cumprem o papel de ironizar o que vai acontecendo na trama central.

Outra coisa legal no Avenida Brasil é que a narrativa, o 'raconto', não é pré-fabricada desde o início. Deu-me a impressão de que os acontecimentos dramáticos iam puxando outros, como se João Emanuel gostasse de se meter em encrencas insolúveis para depois resolvê-las. Isso gerou também um clima solto e improvisado, cheio de ‘cacos’ em que atores como Marcos Caruso, Eliane Giardini e José de Abreu se esbaldaram, criando em muitos momentos um ambiente de ‘cinema verdade’, com todo mundo falando ao mesmo tempo, sem a alternância antiga da pergunta e resposta.

Esse tipo de estrutura é semelhante aos recentes seriados americanos que estão criando uma nova forma de arte, diferentemente dos filmes que estão até meio arcaicos ou recorrendo a truques visuais, 3D, porrada, historinhas para idiotas.

Um filme almeja sempre um sentido final, uma conclusão qualquer, em duas ou três horas. Um seriado ou uma novela como essa participam de uma nova forma de arte dramática: a vida real em sua casa, acessível imediatamente como o Facebook ou um Instagram – a cara do nosso tempo, sem finais claros, sem tendências fechadas, sem conclusões.

Durante meses ou anos (Sopranos, Lost, Mad Men), a gente se afeiçoa às personagens, como se vivêssemos lá dentro, como se fôssemos parte da família. A direção de Amora Mautner, José Villamarin e seus codiretores é excepcional porque, com uma trama tão rica, que mistura desde a chanchada até momentos trágicos, eles puderam usar recursos de cinema e fotografia que vão de filmes de suspense até ecos de Tarantino.

Esta produção da TV coloca ‘lixão’ de um lado e zona sul do outro, mas nunca faz denúncias sociais ou mostra contradições de um maniqueísmo fácil. E justamente essa recusa ou ausência de ‘mensagens’ torna a obra extremamente, não direi 'política', mas enriquecedora do imaginário brasileiro, incluindo conceitos e comportamentos esquecidos ou ignorados pela dramaturgia nacional. Merece um sério estudo antropológico que a antropóloga Ivana podia fazer...

Esta novela é parte importante da cultura brasileira atual, para longe dos esnobismos estetizantes. Vejo que aqui e no mundo audiovisual nasce uma nova arte de massas, um barroquismo digital e pós pós que não busca mais a realização de um sentido, mas uma convivência entre ficção e realidade. Há vários anos a gente analisava a ‘importância’ de uma obra de arte, para além de sua aura poética. Buscávamos alguma coisa que ajudasse a ‘mudar’ contradições e desse mais harmonia e sentido para a vida social. E agora?

Bem, essa novela foi vista por cerca de 80 milhões de pessoas durante meses e isso a torna não apenas uma ficção sobre nós. Ela faz parte de nossa realidade."
Arnaldo Jabor na sua página de Facebook
Aí vai o top das 5 músicas mais tocadas. Para quem não está inteirado, se preparem que vai sair pagodee funk :)

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Jeitinho Carioca continua

Share
Sequela 2 e a 3 está fresquinha.

A parte 3, nas partes do Carnaval, está hilária!

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Depois...

Share

Depois de tempo demais sem assistir a um show da Marisa Monte só posso afirmar que os bilhetes já estão comprados e agora é esperar ansiosa mas pacientemente pelo dia 27 de Abril de 2013!
Esta música é pura depre mas, apesar disso é linda e faz parte da trilha sonora da "Avenida Brasil" e isso aguenta tudo.
C. os nossos planos vão continuar vivos no presente e no futuro!

"Depois de sonhar tantos anos,
De fazer tantos planos
De um futuro pra nós
Depois de tantos desenganos,
Nós nos abandonamos como tantos casais
Quero que você seja feliz
Hei de ser feliz também
Depois de varar madrugada
Esperando por nada
De arrastar-me no chão
Em vão
Tu viraste-me as costas
Não me deu as respostas
Que eu preciso escutar
Quero que você seja melhor
Hei de ser melhor também
Nós dois
Já tivemos momentos
Mas passou nosso tempo
Não podemos negar
Foi bom
Nós fizemos histórias
Pra ficar na memória
E nos acompanhar
Quero que você viva sem mim
Eu vou conseguir também
Depois de aceitarmos os fatos
Vou trocar seus retratos pelos de um outro alguém
Meu bem
Vamos ter liberdade
Para amar à vontade
Sem trair mais ninguém
Quero que você seja feliz
Hei de ser feliz também
Depois"
Depois - Marisa Monte

Olha só que lindo que ficou

Share
Dueto entre Chico Buarque e a Carminho, cantando "Carolina". A expressão plena do belo.

"Carolina, nos seus olhos fundos guarda tanta dor, a dor de todo esse mundo
Eu já lhe expliquei, que não vai dar, seu pranto não vai nada ajudar
Eu já convidei para dançar, é hora, já sei, de aproveitar
Lá fora, amor, uma rosa nasceu, todo mundo sambou, uma estrela caiu
Eu bem que mostrei sorrindo, pela janela, ah que lindo
Mas Carolina não viu...
Carolina, nos seus olhos tristes, guarda tanto amor, o amor que já não existe,
Eu bem que avisei, vai acabar, de tudo lhe dei para aceitar
Mil versos cantei pra lhe agradar, agora não sei como explicar
Lá fora, amor, uma rosa morreu, uma festa acabou, nosso barco partiu
Eu bem que mostrei a ela, o tempo passou na janela e só Carolina não viu."
Carolina - Chico Buarque e Carminho

Engraçada

Share
E muito a propósito face ao momento em que estamos cá em casa :).
Chama-se Frankie Chavez, é português e é mais um na corrente surfer cantor. Não está mal.

sábado, 17 de novembro de 2012

domingo, 4 de novembro de 2012

A volta de Baby Consuelo ou será Brasil?!

Share
Nunca entendi porque é que há artistas no Brasil com vários nomes e esta Baby é mais uma incógnita. Lembro-me de que ouvi falar dela como Consuelo quando a sua interpretação da bela música do Caetano, "Menino do Rio" foi escolhida para  o genérico da novela "Água Viva" e acho que foi o seu momento alto. Pelo menos nas minhas lembranças foi. Agora venho quando li que, depois de uma longa temporada dedicada à musica gospel, Baby Brasil tinha voltado aos palcos para um show histórico e vejo a sua foto no show com o Caetano, confesso que fiquei muito baralhado e pensei quem é esta Baby Brasil tão igual à Baby Consuelo mas com mais 40 anos em cima?! Mas afinal foi só uma questão de identidade, nada mais. Até porque vim a descobrir que sempre foi conhecida das duas formas. Será por seu nome original ser Bernardete Dinorah?! Ninguém merece!

30 anos dos Titãs na Fundição Progresso

Share
Com direito a regressos de antigos membros como o Arnaldo Antunes e o Nando Reis. Grande privilégio para que teve a sorte de assistir.

Fica aqui o registo de um momento também único que aconteceu em 1997 no show Acústico MTV com Marisa Monte.
"Olhei até ficar cansado
De ver os meus olhos no espelho
Chorei por ter despedaçado
As flores que estão no canteiro
Os punhos e os pulsos cortados
E o resto do meu corpo inteiro
Há flores cobrindo o telhado
E embaixo do meu travesseiro
Há flores por todos os lados
Há flores em tudo que eu vejo

A dor vai curar essas lástimas
O soro tem gosto de lágrimas
As flores têm cheiro de morte
A dor vai fechar esses cortes
Flores
Flores
As flores de plástico não morrem

Olhei até ficar cansado
De ver os meus olhos no espelho
Chorei por ter despedaçado
As flores que estão no canteiro
Os punhos e os pulsos cortados
E o resto do meu corpo inteiro
Há flores cobrindo o telhado
E embaixo do meu travesseiro
Há flores por todos os lados
Há flores em tudo que eu vejo

A dor vai curar essas lástimas
O soro tem gosto de lágrimas
As flores têm cheiro de morte
A dor vai fechar esses cortes
Flores
Flores
As flores de plástico não morrem
Flores
Flores
As flores de plástico não morrem"
Flores - Titãs e Marisa Monte

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

domingo, 21 de outubro de 2012

E lá do outro lado

Share

O horário de Verão chegou.
Mais uma hora pra curtir coisas destas. Black Rio em Ipanema, promovido pelo movimento "#RioEuTeAmo".

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Mais Pierre Aderne

Share

"Eu só quis
E esse foi o meu mal
Ser feliz
Em mês que não tem Carnaval..."
Pierre Aderne - Um Lugar p'ra Ficar from MPAGDP on Vimeo.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Mais da outra MPB

Share

Novo disco de Pierre Aderne e a materialização encantadora do seu conceito de reunir a riqueza de todas as raízes da lusofonia. Duetos lindos com Susana Félix e Sara Tavares. Queremos mais. E há coisa melhor do que ter a sala na Lagoa Rodrigo de Freitas?

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Ouvi há pouco isto e a dissonancia encantou-me

Share

Banda portuguesa nova chamam-se Soaked Lamb e como cartão de apresentação fizeram esta versão linda da música "A flor e o espinho" do Nelson Cavaquinho. Amei!

Gostamos muito

Share

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Isto é muito bom

Share

Chamam-se Cais Sodré Funk Connection, reunem músicos de outros projectos nacionais e têm um groove magnífico! Long live ao soul e ao funk. Parabéns!

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

É lindo, não é?

Share

Nova descoberta, Cícero e soa bastante às melhores coisas que os Los Hermanos fizeram. O clip é na nossa querida Santa Teresa. Gosto muito.

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

We will always have Marais...

Share

And Leblon, and Ipanema, and Borreguilles, and Trestévere and Barrio Salamanca, and Cervantes, and Carcavelos, and Milfontes, and... Um ano and counting :)
"Lá fora está chovendo
Mas assim mesmo eu vou correndo
Só prá ver o meu amor pois
Ela vem toda de branco
Toda molhada linda e despenteada, que maravilha
Que coisa linda que é o meu amor
Por entre bancários, jatomóveis, ruas e avenidas
Milhões de buzinas tocando minha harmonia sem cessar
Ela vem chegando de branco, meiga pura linda e muito tímida
Com a chuva molhando o seu corpo lindo
Que eu vou abraçar
E a gente no meio da rua do mundo
No meio da chuva, a girar, que maravilha
A girar, que maravilha
A girar"
Que maravilha - Mallu Magalhães (esta não sei se o original é do Toquinho ou do Jorge Ben por isso créditos aos dois apesar de, se tivesse de apostar, apostaria no Toquinho)

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Quero muito

Share

Novo trabalho da Orquestra Imperial. E se não fosse pedir muito também gostava de ter um jatinho e poder estar na festa de apresentação.

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Sei que quero viver contigo e tenho a certeza que não sei viver sem ti

Share
"Light reflects from your shadow
It is more than I thought could exist
You move through the room
Like breathing was easy
If someone believed me

They would be
As in love with you as I am
They would be
As in love with you as I am
They would be
As in love with you as I am
They would be
In love, love, love

And everyday
I'm learning about you
The things that no one else sees
And the end comes too soon
Like dreaming of angels

And leaving without them
And leaving without them

Being
As in love with you as I am
Being
As in love with you as I am
Being
As in love with you as I am
Being
As in love, love, love
Love, love, love
Love, love, love

And with words unspoken
A silent devotion
I know you know what I mean
And the end is unknown
But I think I'm ready
As long as you're with me

Being
As in love with you as I am
Being
As in love with you as I am
Being
As in love with you as I am
Being
As in love, love, love"
Angels - The XX

Muito mas mesmo muito bom!

Share

Andreya Triana

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Mesmo sem perceber

Share

Há precisamente um ano a minha vida começou a mudar definitivamente :)
Bendito Aaaaah... Tchim! que não era espirro! Obrigado C.
"Sem correr
Bem devagar
A felicidade voltou para mim
Sem perceber
Sem suspeitar
O meu coração deixou você surgir
E como o despertar depois de um sonho mau
Eu vi o amor sorrindo em seu olhar
E a beleza da ternura de sentir você
Chegou sem correr
Bem devagar
Amor velho que se perde
Sai correndo para outro ninho
Amor novo que se ganha
Vem sem pressa, vem mansinho"
Bem devagar - Caetano Veloso
 

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Isto é muito ninja! Fala Sabotage!

Share

Infelizmente só descobri isto com cerca de 10 anos de atraso. Instituto é um projecto de 4 pessoas ligadas à produção de música eletrónica que fizeram um álbum de remixes muito interessante e onde está este remix do tema Dama Tereza do Sabotage que era um rapper paulista que foi assassinado em 2003.

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

A outra MPB

Share

MPB_MUSICA_PORTUGUESA_BRASILEIRA_DIA_15_SETEMBRO from canalbrasil on Vimeo.

É uma iniciativa do músico Pierre Aderne, de quem gosto muito desde a altura em que, em dupla com a bela e também talentosa Alexia Bomtempo, formavam os Doces Cariocas. E é uma outra forma de ver esta cumplicidade entre a música de Portugal, do Brasil e da África lusófona e que é muitas vezes ignorada e desprezada. Uma reunião / tertúlia que reuniu talentosos músicos dos dois lados do Atlântico e que originou um programa a ser transmitido no Canal Brasil a partir de dia 15 de Setembro. A não perder.

terça-feira, 11 de setembro de 2012

sábado, 8 de setembro de 2012

O bom Inverno!

Share

Alguém tem coragem para discordar de que esse é o melhor Inverno do mundo?! 30 graus e o carioca encheu as deliciosas praias. Ai meu Rio!

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Bela forma de comemorar efemérides

Share

Hoje é o dia da independência do Brasil e entre todas as comemorações e mesmo não as conhecendo todas a minha preferida vai para o Baile da Independência que aconteceu ontem no Circo Voador e que juntou a minha querida Orquestra Imperial e os seus magníficos músicos, o surpreendente e excelente recente grupo português que adopta uma fórmula semelhante à Orquestra Imperial e que se chama Real Combo Lisbonense. Houve ainda uma prova de vinhos dos excelentes vinhos da brilhante cas Nieport. Com isto tudo, a participação da Mariana Aydar quase se eclipsa. Como eu gostava de lá ter estado!

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

American Idol 2012

Share

O vencedor vai ser um caso sério, chama-se Phillip Phillips, te um estilo meio indie / folk, grande presença e uma excelente voz. Em terceir ficou o meu favorito, Joshua Ledet, mais um touro do soul que, espero, venha a fazer uma grande carreira a cantar coisas destas.

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Marina Lima em dose dupla

Share
Não me canso de elogiar a voz desta mulher!

"Meu amor se você for embora
Sabe lá o que será de mim
Passeando pelo mundo a fora
Na cidade que não tem mais fim
Ora dando fora, ora bola
Um irresponsável pobre de mim...
Se eu te peço pra ficar ou não
Meu amor eu lhe juro
Que não quero deixá-lo na mão
E nem, sozinho no escuro
Mas os momentos felizes
Não estão escondidos
Nem no passado
Nem no futuro...
Meu amor não vai haver tristeza
Nada além de fim de tarde a mais
Mas depois as luzes todas acesas
Paraísos artificiais
E se você saísse à francesa
Eu viajaria muito
Mais muito mais...
Se eu te peço prá ficar ou não
Meu amor eu lhe juro
Que não quero deixá-lo na mão
E nem, sozinho no escuro
Mas os momentos felizes
Não estão escondidos
Nem no passado
Nem no futuro...
Se eu te peço pra ficar ou não
Meu amor eu lhe juro
E não quero deixá-lo na mão
E nem, sozinho no escuro
Mas os momentos felizes
Não estão escondidos
Nem no passado
Nem no futuro...
Meu amor eu lhe juro
Que não quero deixá-lo na mão
E nem sozinho no escuro
Mas os momentos felizes
Não estão escondidos
Nem no passado
Nem no futuro...
À francesa...À francesa...
-"Passeando pelo mundo a fora
Na cidade que não tem mais fim"..."
À francesa - Marina Lima

"Vem chegando o verão
O calor no coração
Essa magia colorida
São coisas da vida...
Não demora muito agora
Toda de bundinha de fora
Top less na areia
Virando sereia
Essa noite eu quero te ter
Toda se ardendo só pra mim
Essa noite eu quero te ter
Te envolver, te seduzir
Vem chegando o verão
O calor no coração
Essa magia colorida
São coisas da vida
Não demora muito agora
Toda de bundinha de fora
Top less na areia
Virando sereia
Essa noite eu quero te ter
Toda se ardendo só pra mim
Essa noite eu quero te ter
Te envolver, te seduzir
O dia inteiro de prazer
Tudo que quiser, vou te dar
O mundo inteiro aos seus pés
Só prá poder te amar
Roubo as estrelas lá do céu
Numa noite e meia desse sabor
Pego a lua, aposto no mar
Como eu vou te ganhar?
Essa noite eu quero te ter
Toda se ardendo só pra mim
Essa noite eu quero te ter
Te envolver, te seduzir
O dia inteiro de prazer
Tudo que quiser, eu vou te dar
O mundo inteiro aos seus pés
Só prá poder te amar...
Roubo as estrelas lá do céu
Numa noite e meia desse sabor
Pego a lua, aposto no mar
Como eu vou te ganhar?
Essa noite eu quero te ter
Toda se ardendo só pra mim
(quero sim!)
Essa noite eu quero te ter
Te envolver, te seduzir"
Uma noite e meia - Marina Lima

O jeitinho carioca

Share
Já tomaram conta da festa cum um samba, claro! E até já dizem que, dessa vez, os deuses do Olimpo não vão querer sair de lá. Começou a contagem "regressiva"!

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Esta versão não conhecia e adoro

Share
Já sabia que tinha sido mais um tributo do Caetano para o Roberto Carlos mas não conhecia a versão linda do Caetano. Eleita directamente para a playlist das nossas férias C.

O homem comum mais famoso, agora, do mundo!

Share

O Gari Renato Sorriso brilha todos os anos nos desfiles da Sapucaí e já quase já não executa a sua função original e funcional que seria limpar o sambódromo entre desfiles. Ele próprio se tornou um acontecimento e agora virou estrela internacional na cerimónia de encerramento dos Jogos Olímpicos. Magnífico!

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Lindo!!!

Share

Mais uma beleza do génio Noel Rosa.
"Quem acha vive se perdendo
Por isso agora eu vou me defendendo
Da dor tão cruel desta saudade
Que, por infelicidade,
Meu pobre peito invade
Batuque é um privilégio
Ninguém aprende samba no colégio
Sambar é chorar de alegria
É sorrir de nostalgia
Dentro da melodia
Por isso agora lá na Penha
Vou mandar minha morena
Pra cantar com satisfação
E com harmonia
Esta triste melodia
Que é meu samba em feito de oração
O samba na realidade não vem do morro
Nem lá da cidade
E quem suportar uma paixão
Sentirá que o samba então
Nasce do coração."
Feitio de Oração - Marisa Monte

Monobloco em Setembro, em Lisboa!

Share
Bela notícia! A 22 de Setembro para comemorar o "Ano do Brasil em Portugal" que, diga-se de passagem, deveria ser todos os anos! Vai ser na Praça do Comércio ou, como eu prefiro, no Terreiro do Paço e eles dizem para não perdermos coisa que eu conto, de facto, fazer. Ajudará a matar saudades das gloriosas noites na Lapa e dos incríveis desfiles quando ainda eram na praia de Ipanema e Leblon no domingo a seguir ao Carnaval. Vai virar Carnaval no Terreiro! Uh que beleza! O anúcio pode ser visto aqui e aqui.


" Uh! Uh! Uh! Que Beleza!
Uh! Uh! Uh! Que Beleza!
Que beleza é sentir a natureza
Ter certeza pr'onde vai
E de onde vem
Que beleza é vir da pureza
E sem medo distinguir
O mal e o bem...
Uh! Uh! Uh! Que Beleza!
Uh! Uh! Uh! Que Beleza!
Que beleza é saber seu nome
Sua origem, seu passado
E seu futuro
Que beleza é conhecer
O desencanto
E ver tudo bem mais claro
No escuro...
Uh! Uh! Uh! Que Beleza!
Uh! Uh! Uh! Que Beleza!
Abra a porta
E vá entrando
Felicidade vai
Brilhar no mundo
Que Beleza! Que Beleza!...
Uh! Uh! Uh! Que Beleza!
Uh! Uh! Uh! Que Beleza!"
Imunização Racional (Que Beleza) - Monobloco (Tim Maia)

Tributo

Share
E aí está o disco que assinala os 70 anos de Caetano com um lote bem eclético de participações. Quero, como é evidente.

terça-feira, 7 de agosto de 2012

70 anos Caetaneando!

Share
Feliz aniversário Sr. Caetano Veloso
"Pariu, cuspiu
Expeliu
Um Deus, um bicho
Um homem
Brotou alguém
Algum ninguém
O quê?
A quem?
Surgiu, vagiu
Sumiu, escapuliu
No som, no sonho
Somem
São cem
São mil
São cem mil
Um milhão
Do mal, do bem
Lá vem um
Olhos vazios
De mata escura
E mar azul
Ai, dói no peito
Aparição assim
Vai na alvorada-manhã
Sai do mamilo marrom
O leite doce e sal
Tchau, mamãe
Valeu
Cresceu, vingou
Permaneceu, aprendeu
Nas bordas da favela
Mandou, julgou
Condenou, salvou
Executou, soltou
Prendeu
Colheu, esticou
Encolheu, matou
Furou, fodeu
Até ficar sem gosto
Ganhou, reganhou
Bateu, levou
Mamãe, perdeu, perdeu
Céu
Mar e mata
Mortos da luz desse olhar
Antes assim do que viver
Pequeno e bom
Não diz isso não
Diz isso não
A conta é outra
Têm que dar, têm que dar
Foi mal, papai
Anoiteceu
Brilhou, piscou
Bruxuleou
Ardeu, resplandeceu
A nave da cidade
O sol se pôs
Opôs, nasceu
E nada aconteceu"
Perdeu - Caetano Veloso

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Emotional landmines :)

Share

"É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã
Pois se você parar para pensar, na verdade não há."
Renato Russo

10 de 10 e a caminho de uma vida

Share

Obrigado por seres tu...

50 anos

Share

Apenas porque a data é redonda de mais para não se assinalar e porque é uma música ícone que mais representa uma série de coisas que eu valorizo muito na minha vida é que me faz decidir colocar a música aqui no blog. Nunca amei esta música mas amo tudo o que ela me lembra e tudo para ela me transporta e só assim consigo suportar a milhentas vezes que ouvi as suas milhares de versões em modo música de hotel e de elevador. E assim, e como o Vinícius gostava de fazer, Saravá ao Vinícius e ao Tom pela inspiração, saravá à praia, ao mar e ao bairro de Ipanema que ainda hoje é maravilhosamente inspirador, Saravá ao doce balanço de todas as gatas cariocas, às de Ipanema em especial e à minha gata musa linda que se tornou zuga no momento que pisou o Rio pela primeira vez, Saravá à Bossa e a toda a música maravilhosa que nos chega do outro lado do Atlântico, Saravá ao restaurante Garota de Ipanema e a todos os restantes Garotas que existem no Rio e em especial Saravá ao Garota da Urca. Saravá també ao Veloso que era o boteco origianl e que agora é um bar maravilhoso no Leblon. Saravá aos croquetes de picanha irresistíveis do Veloso. Saravá também à musa inspiradora, Helô Pinheiro. Saravá a toda a cidade do Rio que é uma inspiração permanente e quase uma segunda casa para mim. Saravá a todos os músicos que conferiram à música um pouco mais de valor agregando-lhe um pouco de cada um deles, em especial João Gilberto, Astrid Gilberto, Stan Getz e Frank Sinatra. E um último Saravá a todos os meus amigos que partilham mais ou menos esta minha paixão pelas terras e pelas riquezas cariocas e que são um pilar fundamental da minha vida.